top of page
BLOG DEFESA DA FÉ

A Bíblia e a música


A relação do judaísmo com a música é muito interessante. Vemos que depois da destruição do Templo de Salomão (70 d.C), os rabinos proibiram o uso de instrumentos, pois, segundo justificaram tempos depois, a música somente teria o seu sentido mais elevando na presença do Templo. Com efeito, isso somente foi mudar no Séc. XIX, quando o judaísmo reformado (especialmente na Europa) passou a reintroduzir instrumentos musicais em sua prática.


Diante disso, fiquei pensando como havia sido a relação deste povo com a música lá no início, quando tudo começou. Por essa razão, escolhi abordar no nosso bate-papo de hoje como a música aparece no meio do povo de Deus conforme podemos aprender a partir dos livros de Moisés.


Antes de entrar no assunto, só gostaria de relembrar que os livros de Moisés são os cinco primeiros livros da Bíblia (Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio). A este conjunto de livros, o cristão chama de Pentateuco e o judeu, de Torá. Dito isso, vamos logo ao que interessa.


A primeira aparição nos livros de Moisés de algum elemento relacionado à música ocorre no livro de Gênesis, quando ele se refere a Jubal. Jubal era descendente não distante de Adão, na seguinte ordem: Adão, Caim, Enoque, Irade, Meujael, Metusael, Lameque, e por fim Jubal.